domingo, 12 de novembro de 2017

SUSTENTANDO A CAUSA DE DEUS

Resultado de imagem para foto de mao levantada de Moisés

Sustentando a Causa de Deus
Quando Moisés levantava a mão, Israel prevalecia; quando, porém, ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque. Ora as mãos de Moisés eram pesadas, ... Arão e Hur sustentavam-lhe as mãos, um dum lado e o outro do outro: assim lhe ficaram as mãos firmes até ao pôr-do-sol. E Josué desbaratou a Amaleque. Êxo. 17:11-13.
A batalha que esses versos descrevem foi travada há mais de 3.400 anos, em Refidim, um vale rochoso na península do Sinai. Visitei Refidim em 1959, com um grupo que viajava pelas terras bíblicas. Alguns do grupo subiram até o topo de um monte que dominava a região. Pediram-me que me assentasse sobre uma pedra, assim como Moisés fez, enquanto dois do grupo me seguravam as mãos para que outros tirassem uma fotografia.

Geralmente é verdade que, para o sucesso de um empreendimento, deve haver apoio por parte daqueles que não desempenham um papel "heróico". Sem essa sustentação, muitos empreendimentos fracassam.

Um exemplo desse fracasso ocorreu alguns anos atrás, ao largo da costa da Nova Escócia. Uma embarcação havia sido atingida por terrível tormenta e feita em pedaços, com lamentável perda de vidas.

Um único sobrevivente, agarrado a destroços do naufrágio, podia ser visto pelas pessoas ansiosas que se haviam reunido na praia.

Um rapaz, conhecido como grande nadador, amarrou a extremidade de uma corda em torno de sua cintura e instruiu as pessoas a segurarem a outra ponta, enquanto ele nadava para resgatar o sobrevivente. Lutou contra as ondas até alcançar o homem em perigo e, depois de segurá-lo, fez sinal para que as pessoas na praia os puxassem.

Justamente naquele momento, as pessoas levantaram as mãos com um brado de triunfo e - por um instante apenas - soltaram a corda! Antes que pudessem agarrá-la novamente, a corda foi levada pelo mar e tanto o resgatador como o sobrevivente pereceram! Por um momento apenas os auxiliares do resgatador se esqueceram da importância vital de seu papel "sem charme".

Observe que, em nosso texto, Israel vencia quando as mãos de Moisés eram levantadas, e a vantagem passava para Amaleque quando ele as baixava. Essa foi uma parábola encenada, mediante a qual Deus quis ensinar a Israel - e também a nós - a verdade de que, embora nossa função não pareça atraente, os líderes da causa de Deus, bem como a "tropa de combate", necessitam de nosso apoio para levar a obra avante.

  • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas

sábado, 11 de novembro de 2017

A ILHA MAIS PERIGOSA DO MUNDO

Uma ilha brasileira que é a mais perigosa do mundo inteiro



As ilhas são destinos turísticos muito cobiçados. Desde a famosa Ibiza na Espanha, onde as pessoas procuram diversão, até a de Páscoa com suas misteriosas cabeças ancestrais. Todos aqueles que já foram a uma ilha sentiram a magia do ambiente, uma terra completamente cercada pela água, dá uma sensação de isolamento e nos lembra aventuras míticas, como em "A Ilha da Fantasia". Existem de todos os tipos e alguns são desconhecidas ao homem até hoje. A ilha de que falamos hoje no artigo é uma dessas. O governo não teve escolha senão proibir a entrada sem explicar o motivo. Certamente quando você sabe onde está quando souber melhor sobre ela...




Alguns podem entrar em pânico quando começarmos a falar sobre ela e a outros pode dar repulsa e nojo. No entanto, se você é corajoso (ou louco), talvez queira ir passear, mesmo sabendo que foi proibida a entrada de possíveis visitantes por questão de segurança. O que você acha que há nessa ilha para ter sido proibida banida tão severamente? O local é chamado de Ilha da Queimada Grande, tem uma área de 430 mil metros quadrados e está localizado na costa do estado de São Paulo. Além do nome oficial, ele também recebeu outro nome pelo perigo que que possui. 




A ilha não possui moradias ao redor, já que não foi possível construir quase nada nela. Há apenas um farol que foi mantido por uma família até o final do século XX. Infelizmente, a família não sobreviveu à ilha... atualmente ela é administrada por oficiais da Marinha do Brasil. À primeira vista, o local parece um paraíso natural, mas nada mais longe da realidade. Quando você penetra alguns metros na selva, a vegetação te cobre até a cintura. Esse verde não é local para brincar ou se esconder.



Segundo lendas locais, a ilha possui cinco cobras por metro quadrado. Um número realmente exagerado, mas ele guarda um raciocínio verdadeiro. Como pode ser compreendido com este artigo, a verdade é que este território mostra sinais de não ter sido habitado por seres humanos há décadas. Embora pareça bonito, não é recomendável se aventurar, pois pode ser (e já foi) fatal.



Andar em qualquer lugar nessa ilha significa encontrar várias cobras. Por isso, seu acesso é proibido a civis e apenas alguns cientistas e militares entram para investigar animais. Além da alta quantidade de cobras, foi confirmado que algumas delas estão entre as espécies mais venenosas do mundo. Como alguém poderia querer ir lá?



A Ilha da Queimada Grande é popularmente conhecida como "Ilha das Cobras" e é um dos maiores serpentários em escala mundial. É uma reserva natural devido à sua fauna. Mas, algumas dessas cobras estão ameaçadas. Há uma espécie chamada de "Serpente da Ilha Queimada" que só habita esse ponto (endêmico), e, embora seu número seja muito grande, ela tem risco de endogamia. Isso significa que, por estarem em um ambiente reduzido, elas acasalam dentro da mesma “árvore genealógica”, criando um problema para a sobrevivência a longo prazo.


Embora sejam altamente venenosas e muito numerosas, essas cobras devem ser ajudadas pelo governo brasileiro, uma vez que são criaturas únicas e preciosas. Desagradáveis para alguns, mas fantásticas para os outros. Talvez no futuro, a possibilidade de habitar essa ilha seja questionada, mas, por enquanto, é guardada e reservada para que a natureza rica a abrigue e seja preservada com segurança…



Por mais belas que sejam, é melhor não pisar na ilha, essa é a nossa recomendação. O veneno de algumas dessas cobras é cerca de 5 vezes mais fatal que o de cobras de outras famílias similares. Isso gera mortes imediatas por necrose, algo que não seria uma atração turística em agências de viagens. 



Você teria coragem de pisar nessa ilha?


  • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

DOCE DE ZAMBOA

                       Resultado de imagem para Fotos de Zamboa
  Mistério até no paladar
Resultado de imagem para Fotos de Zamboa


Alguns vão estranhar, outros dirão já ter comido algo parecido, mas muitos ficarão com a pulga atrás da orelha: qual é o gosto da zamboa? “Tem sabor de cidra”, garante o povo de Mendanha, distrito de Diamantina. Ali, o fruto de casca grossa e com polpa amarelada dá aos montes, em maio e junho. Eles aproveitam a boa safra para fazer o doce da fruta. “A receita não tem mistério, é como se fizéssemos com laranja-da-terra. Mas é ainda melhor”, dizem. Mas, para produzir a delícia, é preciso paciência e atenção. Para retirar o amargo, eles deixam de molho os frutos por quatro dias. “O ideal é trocar a água diariamente”, aconselham. Segundo eles, nesse período a fruta não pode “pegar vento”. Por isso, é importante tapar o recipiente com um pano. É aí que está o segredo. Quituteiras famosas na região, também fazem doces de figo, limão, pequi, manga e laranja. Para cada fruta, elas ensinam: “Quando deixada de molho, cada fruta tem que ser tampada com um pano diferente”. Para a zamboa, o ideal é um pano branco e sem bordados. Caso contrário, perde o sabor e o doce endurece, afirmam. Belo para os olhos e delicioso para o paladar, o doce de zamboa é daqueles que não satisfazem em apenas uma colherada. Elas garantem: “Não se faz doces só com ingredientes, é preciso algo mais”.

Resultado de imagem para Fotos de Zamboa

Como fazer Doce de zamboa
                           Resultado de imagem para Fotos de Zamboa

Retirar toda a polpa, sumo e o bagaço da fruta, aproveitando apenas a casca. Cortar as cascas em tiras de mais ou menos 5 cm, não muito finas e levar ao fogo (com água até cobrir) para amaciar, até ferver. Retirar do fogo, acrescentar o sal e deixar a zamboa de molho na água durante quatro dias, trocando a água diariamente, duas vezes. No quinto dia, desprezar a água e misturar a fruta com o açúcar, dois litros de água e os cravos. Levar novamente ao fogo e deixar ferver, até obter uma calda clara. Deixar esfriar e levar à geladeira. Servir gelado.

  • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas


segunda-feira, 6 de novembro de 2017

BRUXISMO DO SONO

  • Resultado de imagem para fOTO DE BRUXISMO DO SONO

  • Bruxismo do sono é um distúrbio do sono caracterizado pelo apertar e ranger dos dentes, de forma involuntária, com aplicação de forças excessivas sobre a musculatura mastigatória. A palavra bruxismo do sono vem do grego brycheinm, que significa ranger dos dentes.

  • Causas

    Os médicos ainda não entendem completamente as causas que levam ao bruxismo. As possíveis razões físicas ou psicológicas para esse distúrbio podem incluir:

    Fatores de risco

    • Alguns fatores aumentam o risco de bruxismo. Confira:
    • Estresse
    • O aumento da ansiedade ou do estresse, bem como sensações de raiva e frustração, podem levar ao ranger dos dentes.

    Idade

    • Bruxismo é comum em crianças e geralmente desaparece durante a adolescência.

    Tipo de personalidade

    • Ter um tipo de personalidade agressiva, competitiva ou hiperativa pode aumentar o risco de bruxismo.

    Substâncias estimulantes

    • A nicotina do cigarro, álcool, cafeína e drogas também podem aumentar o risco de bruxismo.

    Sintomas de Bruxismo

    • Os sinais e sintomas de bruxismo costumam incluir:
      • Ranger ou apertar os dentes: às vezes tão alto que pode despertar uma pessoa que estiver dormindo ao lado
      • Dentes achatados, fraturados, lascados ou soltos
      • Esmalte dental desgastado, expondo camadas mais profundas do dente
      • Aumento da sensibilidade dentária
      • Mandíbula ou dor na face
      • Dor na mandíbula
      • Dor que se sente como se fosse uma dor de ouvido - mas que na verdade é resultado de bruxismo
      • Dor de cabeça
      • Recuos de língua
      Outros sintomas mais graves incluem:

  •                         Resultado de imagem para fOTO DE BRUXISMO DO SONO
  • Seus dentes estão desgastados, danificados ou sensíveis
    • Você apresenta dor na mandíbula, na face ou nos ouvidos
    • Outras pessoas reclamam que você faz ruídos enquanto dorme
    • Sua mandíbula não abre e fecha completamente
    • Você perceber que seu filho, por exemplo, está rangendo ou apertando os próprios dentes, ou se ele apresenta, ainda, outros sinais ou sintomas de bruxismo.

    Na consulta médica

    Entre as especialidades que podem diagnosticar bruxismo estão:
    • Clínica médica
    • Odontologia
    • Psiquiatria
    • Fonoaudiologia
    Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:
    • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
    • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
    O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:
    • Quando os sintomas começaram?
    • Qual a intensidade dos seus sintomas?
    • Os sintomas são frequentes ou ocasionais?
    • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? E funcionou?

    Diagnóstico de Bruxismo

    Um exame pode descartar outros transtornos que possam estar por trás da dor na mandíbula ou dor de ouvido, incluindo:
    • Distúrbios dentários
    • Distúrbios do ouvido, como infecções
    • Problemas com a articulação temporomandibular (ATM)
    O diagnóstico de bruxismo costuma ser feito por meio da observação clínica pelo dentista.

    Tratamento de Bruxismo

    Os principais objetivos do tratamento de bruxismo são reduzir a dor, evitar danos permanentes aos dentes e reduzir o ranger ao máximo.
    Uma placa para bruxismo pode ajudar a reduzir o travamento. Existem muitos tipos diferentes delas, sendo que algumas se encaixam nos dentes superiores e outras nos dentes inferiores. Elas podem ser projetadas para manter sua mandíbula em uma posição mais relaxada ou proporcionar alguma outra função. Se um tipo não funcionar, outro poderá servir. Converse com um dentista sobre a melhor placa para seu caso de bruxismo.

  •            Resultado de imagem para fOTO DE BRUXISMO DO SONO
  • Recomendações naturais para combater o bruxismo

  • Convivendo/ Prognóstico

    Para ajudar a aliviar a dor do bruxismo, existem muitas etapas de cuidados que podem ser realizados em casa. Por exemplo:
    • Aplicar gelo ou calor úmido nos músculos da mandíbula
    • Evitar comer alimentos mais duros, como nozes, balas e carne
    • Beber muita água todos os dias
    • Dormir bastante
    • Aprender exercícios de alongamento físico para ajudar a restabelecer um equilíbrio normal da ação dos músculos e articulações de cada lado da cabeça
    • Relaxar o rosto e músculos da mandíbula durante o dia. O objetivo é fazer do relaxamento facial um hábito
    • Tentar reduzir seu estresse diário e aprender técnicas de relaxamento

  • Complicações possíveis

    Na maioria dos casos, o bruxismo não causa complicações graves, mas o problema pode eventualmente levar a outra:
    • Danificar definitivamente os dentes
    • Dor de cabeça tensional
    • Dor na face
    • Distúrbios que ocorrem nas articulações temporomandibulares (ATMs), localizado em frente às orelhas

    Expectativas

    O bruxismo não é um transtorno perigoso. No entanto, pode causar dano permanente aos dentes e dor desconfortável na mandíbula, dores de cabeça ou dor de ouvido. Por essa razão, é importante procurar um dentista e buscar, em conjunto a ele, a melhor forma de tratamento.

Prevenção

Reduzir o estresse e gerenciar a ansiedade podem reduzir o bruxismo em pessoas propensas à condição. Outras possíveis causas de bruxismo nem sempre podem ser prevenidas.
  • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas

terça-feira, 31 de outubro de 2017

SEMICÍRCULOS NAS UNHAS - PRA QUE SERVE?

lunula-parte-branca-da-unha-01

Muitas pessoas ficam intrigadas com as manchas brancas semicirculares que aparecem perto das cutículas, sem entender ao certo do que isso se trata. Para entender o que essas manchas representam é preciso conhecer um pouco da formação das unhas.


Segundo o biólogo Erich Espinelo, especialista em Microbiologia e Parasitologia do Portal Diário de Biologia, a composição das unhas envolve queratina e sua função é proteger as extremidades dos dedos, auxiliando no manuseio de pequenos objetos.

Em sua formação, as unhas possuem epitélios básicos, conhecidos como: matriz ungueal, leito ungueal, prega ungueal proximal e o hiponíquio. Na matriz ungueal, as células se proliferam, começando a formação da unha. Após o processo estar concluído, o prato ungueal é formado, cobrindo o leito ungueal – a região que fica abaixo da unha. É justamente no prato que aparece a parte esbranquiçada em formato semicircular, chamada de lúnula.

“A lúnula e a matriz ungueal são as partes mais importantes e fundamentais da unha, porque é neste local onde estão as células germinativas para a formação da mesma, ou seja, qualquer desordem, alteração, interferência ou trauma neste local acaba prejudicando todo o processo de crescimento e desenvolvimento saudável da unha”, escreveu Espinelo. Segundo ele, devido a sua importância, é essencial que verifiquemos sempre se há alguma alteração estética na região. Isso pode indicar algum problema de saúde ou disfunção no organismo.

Apesar de ser mais visível no polegar e no dedão do pé, a lúnula está presente em todas as unhas, justamente por ela fazer parte do processo de crescimento celular que forma a queratina. O formato da unha dependerá do formato da própria lúnula. Os semicírculos são os mais comuns, mas podem haver formações mais retilíneas, modificando formato das unhas.

Muitas mulheres costumam remover a cutícula em manicures. Na verdade, a cutícula chama-se hiponíquio, e tem como objetivo proteger a matriz ungueal e a lúnula de bactérias, vírus e fungos. Com sua remoção, as unhas são atacadas e sua formação é afetada diretamente, além de facilitar o aparecimento de infecções e doenças. A recomendação dos especialistas é que as cutículas não sejam removidas, pois elas atuam como uma proteção natural.

Diário de Biologia ] [ Foto: Reprodução / Diário de Biologia ]

  • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas

domingo, 8 de outubro de 2017

SOCOTRA: A ILHA PRÉ- HISTÓRICA

Socotra: a ilha pré-histórica mais estranha do planeta

Yeryüzünün gizemli adası – Sözcü Gazetesi

Global Spotlight: <b>Socotra</b>, Yemen | Sarvodaya


Alguma vez você viajou para um lugar tão exótico que sentiu como se estivesse em outro planeta? Ou já viu algum lugar muito diferente e bonito nas páginas de uma revista ou em cenas de um filme? Bom, o que te mostraremos ao longo do artigo de hoje é um exemplo de um lugar assim. O arquipélago de Socotra, situado ao noroeste do Oceano Índico, perto do Golfo de Adén, tem mais ou menos 250 quilômetros de extensão e compreende um total de quatro ilhas e duas ilhaizinhas rochosas que aparecem como uma prolongação do Chifre da África. Este local está catalogado com importância universal devido, sobretudo, à sua biodiversidade em fauna e flora, enormemente rica e variada.

Best 25+ <b>Socotra</b> ideas on Pinterest | Mysterious places ...

<b>Socotra</b>: Το πιο παράξενο νησί στον κόσμο





37% das 835 espécies de plantas de Socotra, 90% de seus exemplares répteis e 95% dos caracóis terrestres, não podem ser encontrados em nenhuma outra parte do mundo, o que faz com que este lugar seja muito mais singular. Ainda hospeda populações de aves terrestres e marinhas de importância mundial (192 espécies distintas de aves, 44 das quais se reproduzem nas mesmas ilhas e 85 são imigrantes regulares), incluindo algumas em risco de extinção. 

Island of <b>Socotra</b>. Yemen | Feel The Planet
A vida marinha de Socotra também é muito diversa, com ao menos 253 espécies de corais pertencentes aos arrecifes, 730 de peixes costeiros, e 300 caranguejos, lagostas e camarões. É por isto que, por ser uma das ilhas mais ricas em biodiversidade do mundo, tem sido denominada como “Galápagos do Oceano Índico”. As árvores e plantas da ilha têm evoluído para se adaptar ao seu clima hostil, contando alguns com mais de 20 milhões de anos de antiguidade, de acordo aos especialistas biólogos.



<b>Socotra</b>, o lugar mais estranho do planeta | rebobine

Somente Havaí, Nova Caledonia e as ilhas Galápagos têm mais espécies endêmicas, segundo as investigações de campo botânicas dirigidas pelo Centro de Plantas do Oriente Médio. Socotra tem um deserto tropical e um clima semidesértico com uma temperatura média de 25ºC e praticamente não tem chuva. A ilha é um dos lugares mais remotos da terra de origem continental, e já fez parte do supercontinente de Gondwana, que se separou na Era Mesozóica. Não restam dúvidas de que este lugar colocará os cabelos em pé a todos que estejam procurando sair de sua zona de conforto. 

ソコトラ島、インド洋のガラパゴス諸島!



A distinta árvore sangue de dragão (Dracaena Cinnabari), com sua densa copa em forma de guarda-chuva, foi utilizada para magia e em rituais medievais, já que sua resina vermelha de cor sangue podia ser utilizada para uma grande variedade de remédios e corantes, enquanto que uma espécie de rosa do deserto tem um tronco bulboso bastante interessante. As pessoas que viveram na ilha durante dito período também utilizavam óleos medicinais e fabricavam cosméticos. Apelidado comumente como “o lugar mais estranho do planeta” tem uns 40.000 habitantes, mesmo que as primeiras estradas tenham sido construídas só em 2011.

<b>Socotra</b> Attractions | www.imgarcade.com - Online Image Arcade!


Tem três terrenos geográficos distintos, estreitas planícies costeiras, um planalto de pedra de calcário e algumas montanhas que se elevam até os 1.500 metros de altitude, sendo declarada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. A ilha é parte da República de Yemen, mas existe um debate a respeito de como recebeu tal nome, algumas pessoas dizem que provém de uma palavra do idioma sânscrito que significa “ilha feliz”. No entanto, também pode ter vindo do árabe “sug” (mercado) e “gotra”, que se traduz como “gotejamento de incensos”. 

<b>Socotra</b> in November

Além de sua incrível flora, a ilha é o lar de uma imensidade de espécies de aves, muitas das quais são características deste lugar, como o estorninho, o pássaro sol, o verdilhão e o pássaro das asas douradas. Infelizmente, uma grande quantidade de exemplares endêmicos estão em perigo de extinção porque são caçados por outros predadores selvagens não nativos. Curiosamente, não há anfíbios que pertençam à ilha e só há um mamífero (o morcego), mas 90% dos répteis são endêmicos de Socotra, incluindo largatixas, lagartos sem patas e uma espécie de camaleão.



A ilha de Socotra se assemelha a um planeta alienígena porque tem uma coleção única de animais e plantas. Também é conhecida como “mundo perdido” devido ao fato de que os habitantes de muitos países jamais tenham ouvido falar do lugar e não são conscientes de suas maravilhas. Felizmente, os esforços para proteger a todas as criaturas, assim como sua distintiva cultura, estão sendo um êxito. Esta biodiversidade não só é importante para o bem-estar do planeta, como também por seus possíveis benefícios médicos para os humanos.



18 Of The Most Stunning Cliff-Side Villages

  • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

O QUE EU FAÇO DOUTOR?


Resultado de imagem para mulher na delegacia - desenho
Na delegacia

– Seu delegado meu marido saiu de casa ontem a noite, disse que ia comprar arroz e até agora não voltou. O que eu faço doutor?
– Sei lá, faz macarrão!!

  • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

SÍNDROME DAS PERNAS INQUIETAS

Resultado de imagem para Fotos de sindrome das pernas inquietas


O que é Síndrome das pernas inquietas?

Sinônimos: spi, síndrome de ekbom
Síndrome das pernas inquietas é uma condição em que a pessoa tem uma vontade incontrolável de mexer as pernas e as move involuntariamente. Normalmente esse movimento ocorre principalmente quando a pessoa está dormindo, atrapalhando a qualidade do seu sono.

Causas

Não se sabe ao certo qual é a causa da síndrome das pernas inquietas, alguns especialistas suspeitam que esteja relacionada com algum desequilíbrio da dopamina no cérebro, que manda as mensagens que controlam os movimentos musculares do corpo.
As causas da síndrome das pernas inquietas estão mais relacionadas, na verdade, aos fatores de risco.

Fatores de risco

Entre os fatores de risco para a síndrome das pernas inquietas, temos:
  • Hereditariedade, no caso, ter alguém da família que desenvolveu a síndrome das pernas inquietas após os 40 anos de idade
  • Gravidez, já que mulheres grávidas costumam apresentar a síndrome, que em geral passa após o nascimento
  • Doenças crônicas, como Diabétes, doenças renais, doença de Parkinson ou Neuropatia periférica
  • Privação de sono
  • Uso de álcool ou cafeína
  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Uso de algumas medicações para doenças psiquiátricas
  • Anemia
  • Processo de retirada de um sedativo 
  • Sintomas de Síndrome das pernas inquietas

  • O principal sintoma da síndrome das pernas inquietas é a vontade de manter esses membros em movimento. Os sintomas em geral incluem:
    • Começar a sentir a urgência em movimentar as pernas quando se está deitado ou sentado com as pernas endireitadas
    • Perder essa vontade quando se faz algum movimento intencional com as pernas, como alongá-las, sacudi-las, cruzá-las ou começar a andar
    • Sentir piora dos sintomas a noite
    • Ter crises de movimentos periódicos das pernas durante o sono, um outro quadro que faz com que a pessoa chute e movimente as pernas a noite toda, enquanto dorme
    Além dessas características, pessoas com síndrome das pernas inquietas também costumam ter sensações estranhas nas pernas, pés ou mesmo nas laterais do corpo e até nos braços, em alguns casos. As sensações costumam ser diferentes de uma câimbra ou dormência e costumam se caracterizar como:
    • Formigamento
    • Arrepios
    • Fisgadas
    • Latejar
    • Dores
    • Queimações
    • Comichões

      Buscando ajuda médica

      Muitas pessoas convivem com a síndrome das pernas inquietas sem saber ou dar atenção ao problema, pois não as incomoda. O ideal é buscar ajuda médica quando os sintomas da síndrome das pernas inquietas não parecem passar e atrapalham a qualidade do seu sono e desempenho das tarefas diárias.

      Na consulta médica

      Especialistas que podem diagnosticar uma síndrome das pernas inquietas são:
      • Clínico geral
      • Neurologista
      Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:
      • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
      • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
      • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar
      O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:
      • Você sente uma vontade irresistível de balançar as pernas?
      • Que palavras descrevem as sensações que você tem nas pernas?
      • Seus sintomas começam quando você está sentado ou deitado?
      • Seus sintomas pioram durante a noite?
      • Movimentar as pernas ajuda você a se sentir melhor?
      • Já lhe disseram que você movimenta as pernas, treme ou chuta durante a noite?
      • Você tem problemas em adormecer ou em permanecer dormindo?
      • Você se sente cansado ao longo do dia?
      • Alguém da sua família tem pernas inquietas?
      • Quanto de cafeína você consome ao dia?
      Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para síndrome das pernas inquietas, algumas perguntas básicas incluem:
      • Qual é a causa mais provável dos meus sintomas?
      • Quais são as causas possíveis?
      • Que exames eu preciso fazer?
      • Quais os tratamentos disponíveis para essa condição?
      • Eu tenho outras condições de saúde, como posso manejar todas juntas?
      • Que cuidados posso ter para melhorar minha condição?
      Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

      Diagnóstico de Síndrome das pernas inquietas

      O Grupo Internacional de Estudos da Síndrome das Pernas Inquietas estabeleceu os seguintes critérios de diagnóstico para o problema:
      • Ter desejo forte e por vezes irresistível de mover as pernas, normalmente acompanhado de uma sensação desconfortável nesses membros
      • Sintomas que começam ou pioram quando se está em descanso, como sentado ou deitado
      • Sintomas aliviados parcialmente ou temporariamente por atividades como alongamento ou caminhadas
      • Sintomas que pioram a noite
      • Sintomas que não podem ser explicados por nenhuma outra condição física ou mental
      O medico irá conduzir exames físicos e deve pedir por exames neurológicos, para confirmação do diagnóstico de síndrome das pernas inquietas. Entre eles há a eletromiografia, em que agulhas são colocadas no músculo problemático e ela funcionará como um eletrodo, verificando a atividade elétrica durante as contrações musculares.
      Outro exame comum é de velocidade de condução do nervosa, em que uma corrente elétrica fraca é usada para estimular os nervos, e é medido quanto tempo eles levam para responderem a esse impulso.
      Testes devem ser pedidos para verificar se há outras possíveis causas para o problema, como exames de sangue, principalmente para verificar os índices de ferro no sangue (que podem denunciar uma anemia).
      Algumas doenças podem ter sintomas que se assemelham à síndrome das pernas inquietas, entre elas:
      • Doença de Parkinson
      • Fibromialgia
      • Doenças musculares
      • Neuropatia diabética
      • Problemas ciruculatórios
      Caso o paciente também apresente sintomas de movimentos periódicos das pernas durante o sono, poderá ser encaminhado a um especialista em medicina do sono, que poderá conduzir um exame de polisonografia. Nele, o paciente é monitorado durante a noite toda de sono por um aparelho que mede atividade cerebral, batimentos cardíacos, respiração, atividade muscular e movimentos dos olhos.
    • Tratamento de Síndrome das pernas inquietas

      Muitas vezes a síndrome das pernas inquietas é resolvida com o tratamento da doença subjacente que está causando o problema, como a anemia ou a neuropatia.
      Caso não haja nenhuma condição associada ao quadro de síndrome das pernas inquietas, existem tratamentos focados em mudanças de hábitos ou medicamentos.

      Mudanças de hábitos

      Entre as mudanças de hábitos que podem amenizar ou mesmo solucionar os sintomas da síndrome das pernas inquietas, encontramos:
      • Banhos mornos e massagens, que relaxam os músculos
      • Tratamento com quente e frio, para reduzir as sensações nas pernas
      • Técnicas relaxantes, como ioga ou meditação, para redução do estresse, que pode agravar os sintomas do problema
      • Higiene do sono, pois a fatiga pode piorar os sintomas da síndrome. 
      • Exercícios regulares e moderados que envolvam também alongamentos, feitos sob orientação de um educador físico, podem melhorar os sintomas também
      • Redução no consumo de cafeína, como reduzindo o café, chás, refrigerantes e chocolates

      Medicamentos

      Não existem medicamentos feitos diretamente para o tratamento da síndrome das pernas inquietas. No entanto, alguns medicamentos desenvolvidos para o tratamento de outras doenças tem se mostrado eficazes para o problema. Entre eles:
      • Medicamentos que aumentam dopamina no cérebro
      • Drogas que mexem nos canais de cálcio
      • Opiódes, que no entanto podem causar vício se usados em grandes quantidades
      • Benzodiazepinas, categoria que engloba alguns relaxantes musculares e remédios para dormir
      Porém, alguns medicamentos que fazem efeito no começo do tratamento podem se tornar ineficazes com o tempo.
      Algumas drogas usadas para a síndrome das pernas inquietas também são contraindicadas na gravidez, nessa fase as mudanças de hábitos ajudam a controlar melhor o problema.
      O uso de antidepressivos e antipsicóticos pode piorar os sintomas da síndrome das pernas inquietas, por isso, se você usa essas medicações, converse com seu médico.
      Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

      Complicações possíveis

      Apesar de a síndrome das pernas inquietas ser um quadro simples e que muitas vezes não causa problemas, casos mais severos podem resultar em depressão e atrapalhar o cotidiano do paciente. Além disso, pessoas que desenvolvem o problema durante a noite ou tem movimentos periódicos das pernas durante o sono podem ter problemas como insônia ou noites mal dormidas.
    • Prevenção

      Não há formas conhecidas de se prevenir a síndrome das pernas inquietas.
    • Referências:
    • International Restless Legs Syndrome Study Group
    • Clínica Mayo

      • Manual Merck
      • Clic  no marcador e veja reunidas todas as  postagens relacionadas

contador gratis